Juliana Vicente
DESVENDANDO O PITCHING

A produtora executiva, Juliana Vicente, fundadora da Preta Porter Filmes compartilhará sua experiência em Pitching nacionais e internacionais, destacando os elementos e ferramentas necessárias para realização de um bom Pitching.

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon

Juliana Vicente  – Produtora, diretora e fundador da Preta Portê Filmes. Seu trabalho tem sido visto em diversos festivais, como o curta Avós no Festival de Berlim-2010 e Os Sapatos de Aristeu no Festival de Clermont-Ferrand-2009 e Filme Para Poeta Cego no International Film Festival of Rotterdam-2013, tendo recebido mais de 50 prêmios. Dirigiu o curta-metragem Corese Botas (FestivalIberoamericano de Huelva –2011e Festival de Havana –2010)e o documentário média-metragem Leva (Festival de Havana –2011e premiado no New York Film Festivals®).

Adriano Cipriano
 ENGENHARIA CRIATIVA  
Hugo Lima

Como objetivo de desmistificar o processo de desenvolvimento tecnológico e produção de soluções para o dia a dia. Na oficina de Engenharia Criativa Afrocentrada, apresentaremos uma coleção de soluções desenvolvidas através de impressão 3D e eletrónica aberta para audiovisual e cinema. Através da coleta de demandas, relatos e experiências desenvolvemos uma linha de equipamentos para atender às produções audiovisuais.

Hugo Lima – Nascido no Rio de janeiro. Formado como técnico em eletrônica em 2008 e estudo de engenharia da computação Na UVA. Em 2014iniciei minhas atividades como empreendedor desenvolvendo e criando soluções a partir de conceitos de eletrônica, automação e modelagem 3D. Em 2015 iniciei o projeto Afro Engenharia, projeto criado para suprir as demandas de equipamentos baratos para produções independentes e produções de cinema negro. Em 2016, juntamente como Coletivo Siyanda, dirigi meu primeiro curta metragem de ficção.Junto com o coletivo Siyanda tenho 4 curtas metragens concluídos e produzidos com os equipamentos do Afro Engenharia Hoje,2019, desenvolvo e crio as soluções para cinema e audiovisual no espaço do Olabi, makerspace localizado no Rio de janeiro.

A Gênese da Animação Negra

Animafro é uma oficina que narra a trajetória da animação negra no Brasil e no mundo. Esta atividade tem o propósito de suprir a carência de conteúdo sobre o assunto em tempos de afloramento da animação negra. Vamos abordar o surgimento da animação, a contação de histórias e a Tradição Oral Africana, animação no ocidente e o racismo, o mercado atual e seus dados estatísticos, pioneiros e pioneiras, influência dos movimentos de independência coloniais em África, animação pós colonialista, o panorama contemporâneo e movimentos que estão pautando o futuro da animação negra. A Oficina Animafro se destina a animadoras(es) com sede de ancestralidade, educadores(as) que queiram multiplicar esse conhecimento nas escolas, pais e mães preocupados com o conteúdo animado que seus filhos assistem e interessados.

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon

Adriano Cipriano –  Cineasta de animação com 15 anos de mercado, tendo participado da realização das duas maiores bilheterias de animação do cinema nacional: Xuxinha e Guto; e Turma da Mônica. Também realizando 3 curtas metragens. Além de Design, videografismo e efeitos visuais para longas como Candeia de Luis Antonio Pilar. Em 2008 fundou o Estúdio Roncó, produtora de animações que presta serviços para empresas como Odebrecht, Rede Record, Tv Brasil, TV Globo, Anistia Internacional, Centro Afrocarioca de Cinema, FLUP e outros.

Everlane de Moraes
O DOCUMENTÁRIO COMO RECEPTOR DE MEMÓRIA VIVA 

A oficina “O Cinema e o Espelho” com a documentarista Everlane Moraes propõe um mergulho nos processos criativos da diretora e a decolonização do olhar, imergindo em temas como a diáspora, o iconográfico e a reflexividade no documentário.O encontro propõe diálogos sobre a concepção e realização dos seus filmes associando-os com outras áreas do conhecimento humano, como História, a Filosofia e Política e outras linguagens artísticas, como a Pintura e a Literatura. Com foco nas suas próprias experiências, a documentarista propõe formas e olhares descolonizadores sobre os corpos negros e as questões socioculturais da diáspora negra.

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon

Everlane de Moraes –  Especializada em DIREÇÃODE DOCUMENTÁRIO pela ESCUELA INTERNACIONAL DE CINE Y TV (EICTV/Cuba). Graduanda em ARTES VISUAIS LICENCIATURA pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE(UFS). Fundadora e codiretora da A IRMANDADE FILMES, grupo criativo de autores. Membra da Associação dos Profissionais do AudiovisualNegro (AP.AN). Realiza documentários que apresentam uma estética híbrida que dialoga as Artes Visuais e o Cinema. Nesse espaço de experimentação fílmica, mescla conceitos filosóficos e questões socioculturais da diáspora negra em busca de retratar subjetividade, identidade e a humanidade dos personagens.

David Aynan
 NARRATIVIDADE SONORA

A direção de som na construção do pensamento sonoro da pré a pós produção. O som como elemento narrativo construindo e/ou alterando as características da cena.

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon

David Aynan – graduado em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Atua na área de direção, designer de som e montagem . É membro fundador do Movimento deCinema Negro Tela Preta e Conselheiro da APAN (Associação dosProfissionais do Audiovisual Negro)